Poesia

Hoje é dia / de poesia / não dissera / quem diria?

Archive for June, 2006

Fala sério

Perdemos um bobo.
Mas um necessário,
Que o riso do povo
Tinha por salário;

Que em meio às mazelas
Do nosso Brasil,
Também criticava
E ria do vil;

Que aqui o que resta
Pra que não choremos
É rir da desgraça
Que hoje vivemos.

Fazendo piadas
Com o povo, e do povo,
Nos deixa o Bussunda,
Ainda tão novo;

Mas filho dum povo
Que é brasileiro
E que não desiste
Desse galinheiro.

Então digo, triste,
Adeus, bom Bussunda…
Chore por quem fica,
E um beijo na testa!

João 4

Quem é este que conhece,
Que me vê desde meu íntimo
O segredo, oculto e negro
Que eu mesma nego e incito?

Quem é este, que me vê
Sem nunca antes ter me visto,
Que me muda e me transforma
Com amor em suas palavras?

É aquele que me diz
Que não num monte, nem no outro
É que Deus será encontrado;

Mas à beira de um poço,
Descansando da viagem;
Ele mesmo, Deus conosco.