Arquivo para 26 de July de 2005

Compreendendo as Escrituras

Tuesday, 26 de July de 2005

“Jesus, porém, lhes respondeu: Errais, não compreendendo as Escrituras nem o poder de Deus…” (Mateus 22:29)

Considerando ou não o contexto em que foi dito, esse texto deixa algo claro: erramos se não compreendemos as Escrituras nem o poder de Deus. Como se sabe, a Bíblia é não só o livro mais lido da história humana recente, como o mais interpretado. Há literalmente milhares de diferentes interpretações sobre os mais variados temas, e o Senhor Jesus, no contexto do texto acima, estava justamente criticando a interpretação (ou falta de interpretação) dos saduceus sobre o assunto da ressurreição. Se há tantas possibilidades de interpretação, se tantas maneiras da Bíblia ser lida, qual então será o segredo para compreendermos as Escrituras corretamente? Como podemos evitar o erro de não compreendê-las corretamente?

O que fica claro é que, se a Bíblia pode ser vista e interpretada de tantas formas, a chave para a correta compreensão das Escrituras é o ponto de vista. É como se a Bíblia fosse um “holograma”: só podemos ver a figura escondida no holograma se olharmos do ângulo certo; todo outro ponto de vista resultará em confusão.

Se assim for, qual será, então, o ponto de vista correto para entendermos as Escrituras? Qual será a chave para entendermos as Escrituras? E o que está escondido nelas?

Os primeiros versos de Gênesis e os primeiros versos do evangelho de João nos dizem qual é a perspectiva certa:

“No princípio criou Deus os céus e a terra.” (Gênesis 1:1)

“No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus. Ele estava no princípio com Deus. Todas as coisas foram feitas por intermédio dele, e sem ele nada do que foi feito se fez. Nele estava a vida, e a vida era a luz dos homens; a luz resplandece nas trevas, e as trevas não prevaleceram contra ela. (…) E o Verbo se fez carne, e habitou entre nós, cheio de graça e de verdade; e vimos a sua glória, como a glória do unigênito do Pai. (…) Porque a lei foi dada por meio de Moisés; a graça e a verdade vieram por Jesus Cristo. Ninguém jamais viu a Deus. O Deus unigênito, que está no seio do Pai, esse o deu a conhecer.” (João 1:1-5,14,17-18)

Assim entendemos qual o ponto de vista correto, se queremos conhecer as Escrituras — que ponto de vista é melhor do que o ponto de vista dAquele que as escreveu? O ponto de vista que devemos ter, ao olharmos para as Escrituras, é o ponto de vista de Deus. Como podemos ver as coisas do “prisma” de Deus, senão através do Filho?

“Todas as coisas me foram entregues por meu Pai; e ninguém conhece plenamente o Filho, senão o Pai; e ninguém conhece plenamente o Pai, senão o Filho, e aquele a quem o Filho o quiser revelar.” (Mateus 11:27)

“Sabemos também que já veio o Filho de Deus, e nos deu entendimento para conhecermos aquele que é verdadeiro; e nós estamos naquele que é verdadeiro, isto é, em seu Filho Jesus Cristo. Este é o verdadeiro Deus e a vida eterna.” (I João 5:20)

Assim, em Cristo nos encontramos no ponto de vista correto para entendermos as Escrituras. E, uma vez que vemos as Escrituras do ponto de vista correto, o que descobrimos? Que toda a Bíblia, as Escrituras em sua totalidade, falam de uma coisa o tempo todo, a saber, do que o coração de Deus está cheio:

“Examinai as Escrituras, porque julgais ter nelas a vida eterna; e são elas que dão testemunho de mim…” (João 5:39)

“O Pai ama ao Filho, e todas as coisas entregou nas suas mãos.” (João 3:35)

“Porquanto esta é a vontade de meu Pai: Que todo aquele que vê o Filho e crê nele, tenha a vida eterna; e eu o ressuscitarei no último dia.” (João 6:40)

Por Cristo temos a correta perspectiva para compreendermos as Escrituras; e nele compreendemos que as Escrituras dão testemunho de Cristo. A mensagem das Escrituras consiste em uma pessoa e sua obra: Cristo, sua morte de cruz por nós, e sua ressurreição em poder. Conhecendo assim as Escrituras, que falam de Cristo e da sua obra, quer figurativamente, quer diretamente, conheceremos também o poder de Deus — aquele mesmo poder que ressuscitou a Cristo dentre os mortos. E conhecendo a Deus dessa forma, e conhecendo àquele que Ele enviou, acharemos vida, e vida eterna, nessas palavras — e na mensagem delas, a saber, o Verbo de Deus.

“O espírito é o que vivifica, a carne para nada aproveita; as palavras que eu vos tenho dito são espírito e são vida.” (João 6:63)

“E a vida eterna é esta: que te conheçam a ti, o único Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo, aquele que tu enviaste.” (João 17:3)