Arquivo para 13 de July de 2005

Os fundamentos: batismos (4/7)

Wednesday, 13 de July de 2005

Prosseguindo no nosso estudo, exploremos agora o quarto rudimento, o ensino sobre batismos. Em primeiro lugar, gostaria de chamar a atenção para duas coisas: primeira, é um ensino, ou seja, não tem necessariamente o mesmo caráter prático dos rudimentos anteriores, mas está ligado a eles de várias formas; segunda, é ensino sobre batismos, no plural, e não batismo — o que nos faz pensar que há mais de um batismo. No entanto, como veremos, ainda que o ensino seja sobre batismos, há um só batismo. Prossigamos então, para entendermos isso plenamente.

O primeiro batismo mencionado na Bíblia é o batismo de arrependimento, feito por João:

“Então iam ter com ele os de Jerusalém, de toda a Judéia, e de toda a circunvizinhança do Jordão, e eram por ele batizados no rio Jordão, confessando os seus pecados.” (Mateus 3:5-6)

Os dois seguintes também são mencionados por João, a saber, o batismo no Espírito Santo, e o batismo em fogo:

“Eu, na verdade, vos batizo em água, na base do arrependimento; mas aquele que vem após mim é mais poderoso do que eu, que nem sou digno de levar-lhe as alparcas; ele vos batizará no Espírito Santo, e em fogo.” (Mateus 3:11)

E, finalmente, o quarto batismo da Bíblia é o batismo do Senhor Jesus por João Batista:

“Então veio Jesus da Galiléia ter com João, junto do Jordão, para ser batizado por ele. Mas João o impedia, dizendo: Eu é que preciso ser batizado por ti, e tu vens a mim? Jesus, porém, lhe respondeu: Consente agora; porque assim nos convém cumprir toda a justiça. Então ele consentiu. Batizado que foi Jesus, saiu logo da água; e eis que se lhe abriram os céus, e viu o Espírito Santo de Deus descendo como uma pomba e vindo sobre ele; e eis que uma voz dos céus dizia: Este é o meu Filho amado, em quem me comprazo.” (Mateus 3:13-17)

Uma coisa que vamos notar, curiosamente, é que todos esses batismos fazem parte da pregação e obra de João, já que o batismo era o centro da pregação dele — daí seu nome popular, João Batista. João, sendo profeta, apontava para algo através do batismo. E para o quê ele apontava?

“No dia seguinte João viu a Jesus, que vinha para ele, e disse: Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo. Este é aquele de quem eu disse: Depois de mim vem um varão que passou adiante de mim, porque antes de mim ele já existia. Eu não o conhecia; mas, para que ele fosse manifestado a Israel, é que vim batizando em água. E João deu testemunho, dizendo: Vi o Espírito descer do céu como pomba, e repousar sobre ele. Eu não o conhecia; mas o que me enviou a batizar em água, esse me disse: Aquele sobre quem vires descer o Espírito, e sobre ele permanecer, esse é o que batiza no Espírito Santo. Eu mesmo vi e já vos dei testemunho de que este é o Filho de Deus.” (João 1:29-34)

Ora, vemos com isso que o batismo é um símbolo da obra redentora de Cristo, da sua morte por nós, e da sua ressurreição; da nossa morte e ressurreição com ele, ou seja, a base do arrendimento de obras mortas; e da nossa fé para com Deus e Seu Filho, e quanto à Sua obra em nós. Dessa forma, os batismos, quaisquer que sejam, apontam para os três fundamentos práticos da fé. O batismo de arrependimento, o batismo com o Espírito Santo quando cremos, o batismo com fogo, todos estes apontam para o último batismo de João Batista, aquele que mostrou o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo, o testemunho de Deus a seu respeito, e a unção do Espírito Santo sobre ele — ou seja, aquele que revelou através de Cristo toda a Trindade. De fato, todo batismo é uma figura da nossa morte e ressurreição em Cristo; qualquer desses batismos bíblicos, seja ele qual for, é em Cristo:

“Ou, porventura, ignorais que todos quantos fomos batizados em Cristo Jesus fomos batizados na sua morte? Fomos, pois, sepultados com ele pelo batismo na morte, para que, como Cristo foi ressuscitado dentre os mortos pela glória do Pai, assim andemos nós também em novidade de vida.” (Romanos 6:3-4)

“Pois em um só Espírito fomos todos nós batizados em um só corpo, quer judeus, quer gregos, quer escravos quer livres; e a todos nós foi dado beber de um só Espírito.” (I Coríntios 12:13)

“Pois todos sois filhos de Deus pela fé em Cristo Jesus. Porque todos quantos fostes batizados em Cristo vos revestistes de Cristo. Não há judeu nem grego; não há escravo nem livre; não há homem nem mulher; porque todos vós sois um em Cristo Jesus.” (Gálatas 3:26-28)

“Há um só corpo e um só Espírito, como também fostes chamados em uma só esperança da vossa vocação; um só Senhor, uma só fé, um só batismo; um só Deus e Pai de todos, o qual é sobre todos, e por todos e em todos.” (Efésios 4:4-6)

Por que o ensino sobre batismos é tão importante? Porque, como todo ensino, aponta para Cristo, e para os rudimentos da fé cristã, e seu pleno cumprimento em nós; porque os batismos nada mais são do que expressões diferentes do mesmo batismo, da nossa morte e ressurreição com Cristo, e da vida que agora vivemos para Deus.

“Mas Jesus lhes disse: Não sabeis o que pedis; podeis beber o cálice que eu bebo, e ser batizados no batismo em que eu sou batizado? E lhe responderam: Podemos. Mas Jesus lhes disse: O cálice que eu bebo, haveis de bebê-lo, e no batismo em que eu sou batizado, haveis de ser batizados; mas o sentar-se à minha direita, ou à minha esquerda, não me pertence concedê-lo; mas isso é para aqueles a quem está reservado.” (Marcos 10:38-40)