Arquivo para 8 de July de 2005

A escada de Jacó

Friday, 8 de July de 2005

“Partiu, pois, Jacó de Beer-Seba e se foi em direção a Harã; e chegou a um lugar onde passou a noite, porque o sol já se havia posto; e, tomando uma das pedras do lugar e pondo-a debaixo da cabeça, deitou-se ali para dormir. Então sonhou: estava posta sobre a terra uma escada, cujo topo chegava ao céu; e eis que os anjos de Deus subiam e desciam por ela; por cima dela estava o Senhor, que disse: Eu sou o Senhor, o Deus de Abraão teu pai, e o Deus de Isaque; esta terra em que estás deitado, eu a darei a ti e à tua descendência; e a tua descendência será como o pó da terra; dilatar-te-ás para o ocidente, para o oriente, para o norte e para o sul; por meio de ti e da tua descendência serão benditas todas as famílias da terra. Eis que estou contigo, e te guardarei por onde quer que fores, e te farei tornar a esta terra; pois não te deixarei até que haja cumprido aquilo de que te tenho falado. Ao acordar Jacó do seu sono, disse: Realmente o Senhor está neste lugar; e eu não o sabia. E temeu, e disse: Quão terrível é este lugar! Este não é outro lugar senão a casa de Deus; e esta é a porta dos céus. Jacó levantou-se de manhã cedo, tomou a pedra que pusera debaixo da cabeça, e a pôs como coluna; e derramou-lhe azeite em cima. E chamou aquele lugar Betel; porém o nome da cidade antes era Luz.” (Gênesis 28:10-19)

Essa foi a primeira experiência de Jacó ao deixar a casa de seu pai, para buscar uma esposa da sua parentela. No caminho, deitou-se para dormir, e sonhou com uma escada para o céu, pela qual os anjos subiam e desciam; e por cima dela estava o Senhor, o Deus de seus pais. Ao acordar, Jacó reconheceu naquele sonho a casa de Deus, a porta dos céus; e chamou àquele lugar Betel, que significa “casa de Deus”. No entanto, que significado estará oculto nesse sonho? O que ele de fato significa, e o que temos a aprender nele? Que escada era essa, que ligava a terra ao céu?

Se você acha que a escada é uma figura de Cristo, muito bem. Porque o próprio Jesus deixa isso bem claro no texto abaixo:

“E acrescentou: Em verdade, em verdade vos digo que vereis o céu aberto, e os anjos de Deus subindo e descendo sobre o Filho do homem.” (João 1:51)

Em ambos os textos temos o céu aberto, e anjos subindo e descendo; no sonho de Jacó, sobre uma escada; nas palavras de Cristo, sobre o Filho do homem. Isso quer dizer que Cristo é o caminho que liga a terra ao céu, o caminho de volta para Deus, como vimos no estudo de ontem, e vemos no texto abaixo:

“E para onde eu vou vós conheceis o caminho. Disse-lhe Tomé: Senhor, não sabemos para onde vais; e como podemos saber o caminho? Respondeu-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim. Se vós me conhecêsseis a mim, também conheceríeis a meu Pai; e já desde agora o conheceis, e o tendes visto.” (João 14:4-7)

Cristo se fez a escada entre a terra e o céu quando, sendo Deus e se tornando menor que os anjos, ele desceu; e quando, sendo ressurreto e declarado Senhor na sua ressurreição, ele subiu, assim se tornando a escada eterna, o caminho entre Deus e os homens, ligando o céu à terra para sempre, para todos aqueles que crêem nele.

“Tende em vós aquele sentimento que houve também em Cristo Jesus, o qual, subsistindo em forma de Deus, não considerou o ser igual a Deus coisa a que se devia aferrar, mas esvaziou-se a si mesmo, tomando a forma de servo, tornando-se semelhante aos homens; e, achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, tornando-se obediente até a morte, e morte de cruz. Pelo que também Deus o exaltou soberanamente, e lhe deu o nome que é sobre todo nome; para que ao nome de Jesus se dobre todo joelho dos que estão nos céus, e na terra, e debaixo da terra, e toda língua confesse que Jesus Cristo é Senhor, para glória de Deus Pai.” (Filipenses 2:5-11)

Mas o fato é que há algo mais no texto de Gênesis que aponta para Cristo, porque quando Jacó acorda, ele declara duas coisas acerca do seu sonho; que aquele lugar é a casa de Deus, e a porta dos céus. Já vimos como a casa de Deus e o tabernáculo eram figuras de Cristo. E, quanto à porta, o próprio Senhor Jesus dá testemunho:

“Tornou, pois, Jesus a dizer-lhes: Em verdade, em verdade vos digo: eu sou a porta das ovelhas. Todos quantos vieram antes de mim são ladrões e salteadores; mas as ovelhas não os ouviram. Eu sou a porta; se alguém entrar por mim, salvar-se-á, entrará e sairá, e achará pastagens.” (João 10:7-8)

“Entrai pela porta estreita; porque larga é a porta, e espaçoso o caminho que conduz à perdição, e muitos são os que entram por ela; e porque estreita é a porta, e apertado o caminho que conduz à vida, e poucos são os que a encontram.” (Mateus 7:13-14)

De fato, o mundo é bem largo; mas a cruz é estreita, pois nela só cabe um homem. O caminho que nos leva a Deus passa pela cruz de Cristo; ela é o ponto de ligação entre o céu e a terra, porque nela morreu um homem por todos os homens, porque nela se cumpriu a justiça de um Deus eterno e justo, porque nela morremos com Cristo para vivermos para Deus, e porque nela tudo foi consumado; na cruz de Cristo há o sacrifício perfeito, aquilo que nos liga definitivamente a Deus; o Cristo crucificado é a base da escada de Jacó na terra, e o Cristo ressurreto, a base da escada nos céus, sendo ele próprio o caminho.

Uma vez que vemos tal coisa, não há como sermos os mesmos. À vista da cruz, só nos cabe dizer, como Jacó disse ao despertar de seu sonho: “realmente o Senhor está nesse lugar, e eu não sabia; quão terrível é este lugar”. E, ao reconhecer isso, só podemos então viver para Deus, pela graça de Cristo, até o dia em que veremos o céu aberto, e o Verbo de Deus descendo com o exército dos céus, para transformar os céus e a terra em uma nova criação, e fazer de ambos uma só coisa; e estarmos, enfim, para sempre com o Senhor.

“E vi o céu aberto, e eis um cavalo branco; e o que estava montado nele chama-se Fiel e Verdadeiro; e julga a peleja com justiça. Os seus olhos eram como chama de fogo; sobre a sua cabeça havia muitos diademas; e tinha um nome escrito, que ninguém sabia senão ele mesmo. Estava vestido de um manto salpicado de sangue; e o nome pelo qual se chama é o Verbo de Deus. Seguiam-no os exércitos que estão no céu, em cavalos brancos, e vestidos de linho fino, branco e puro. Da sua boca saía uma espada afiada, para ferir com ela as nações; ele as regerá com vara de ferro; e ele mesmo é o que pisa o lagar do vinho do furor da ira do Deus Todo-Poderoso. No manto, sobre a sua coxa tem escrito o nome: Rei dos reis e Senhor dos senhores.” (Apocalipse 19:11-16)