Arquivo para 3 de July de 2005

O outro Consolador

Sunday, 3 de July de 2005

“E eu rogarei ao Pai, e ele vos dará outro Ajudador, para que fique convosco para sempre; a saber, o Espírito da verdade, o qual o mundo não pode receber; porque não o vê nem o conhece; mas vós o conheceis, porque ele habita convosco, e estará em vós.” (João 14:16-17)

Uma das coisas que o Senhor Jesus prometeu que aconteceria depois da sua morte e ressurreição foi a dádiva do Espírito Santo, e sua habitação no crente. Esse texto fala exatamente dessa promessa, cumprida alguns dias depois, como descrito no começo do livro de Atos. Mas há algo extremamente interessante nesse texto, que gostaria de ressaltar. E isso reside no fato de que o Senhor Jesus não prometeu “um” ajudador ou consolador, mas “outro”.

O que isso significa? Significa que o Espírito Santo seria um ajudador, mas que havia um outro ajudador antes dele. Quem seria esse outro ajudador?

“Meus filhinhos, estas coisas vos escrevo, para que não pequeis; mas, se alguém pecar, temos um Advogado para com o Pai, Jesus Cristo, o justo. E ele é a propiciação pelos nossos pecados, e não somente pelos nossos, mas também pelos de todo o mundo.” (I João 2:1-2)

A palavra traduzida como “Advogado” no texto acima é a palavra grega parakletos, que era o termo usado tanto para um advogado de defesa como a alguém de quem se pedia ajuda, um ajudador ou consolador. Curiosamente, é a mesma palavra traduzida como Ajudador no primeiro texto deste estudo. Ou seja, o que isso nos mostra? Que se o Espírito Santo é o outro ajudador ou consolador, Jesus Cristo, ele próprio, é o primeiro ajudador, o primeiro consolador. Assim, enquanto ele estava entre nós, ele mesmo era o Consolador; quando foi para o Pai, enviou um Consolador que ficasse em seu lugar, a saber, o Espírito Santo. E como o Espírito nos ajuda, como ele nos consola? Em primeiro lugar, nos ensinando, e em segundo, nos fazendo lembrar da palavra pregada pelo primeiro consolador:

“Estas coisas vos tenho falado, estando ainda convosco. Mas o Ajudador, o Espírito Santo a quem o Pai enviará em meu nome, esse vos ensinará todas as coisas, e vos fará lembrar de tudo quanto eu vos tenho dito.” (João 14:25-26)

Em terceiro lugar, dando testemunho de Cristo; em quarto lugar, nos capacitando a dar testemunho de Cristo.

“Quando vier o Ajudador, que eu vos enviarei da parte do Pai, o Espírito da verdade, que do Pai procede, esse dará testemunho de mim; e também vós dareis testemunho, porque estais comigo desde o princípio.” (João 15:26-27)

E em quinto lugar, intercedendo por nós quanto ao que pedimos, como Cristo também intercede junto ao Pai por nós:

“Do mesmo modo também o Espírito nos ajuda na fraqueza; porque não sabemos o que havemos de pedir como convém, mas o Espírito mesmo intercede por nós com gemidos inexprimíveis. E aquele que esquadrinha os corações sabe qual é a intenção do Espírito: que ele, segundo a vontade de Deus, intercede pelos santos. (…) Quem os condenará? Cristo Jesus é quem morreu, ou antes quem ressurgiu dentre os mortos, o qual está à direita de Deus, e também intercede por nós…” (Romanos 8:26-27,34)

“…de tanto melhor pacto Jesus foi feito fiador. (…) Portanto, pode também salvar perfeitamente os que por ele se chegam a Deus, porquanto vive sempre para interceder por eles.” (Hebreus 7:22,25)

Assim, o Espírito é o nosso “tradutor” quanto a Deus; porque ele “traduz” o que pedimos para com Deus, e porque nos ensina das coisas espirituais, já que essas se discernem espiritualmente:

“Pois, qual dos homens entende as coisas do homem, senão o espírito do homem que nele está? assim também as coisas de Deus, ninguém as compreendeu, senão o Espírito de Deus. Ora, nós não temos recebido o espírito do mundo, mas sim o Espírito que provém de Deus, a fim de compreendermos as coisas que nos foram dadas gratuitamente por Deus; as quais também falamos, não com palavras ensinadas pela sabedoria humana, mas com palavras ensinadas pelo Espírito Santo, comparando coisas espirituais com espirituais. Ora, o homem natural não aceita as coisas do Espírito de Deus, porque para ele são loucura; e não pode entendê-las, porque elas se discernem espiritualmente. Mas o que é espiritual discerne bem tudo, enquanto ele por ninguém é discernido. Pois, quem jamais conheceu a mente do Senhor, para que possa instruí-lo? Mas nós temos a mente de Cristo.” (I Coríntios 2:11-16)

Assim, o Espírito Santo, sendo o outro Consolador, é em nós a mente de Cristo, e faz espiritualmente o que Cristo fez como homem; porque Cristo falou a nós como homens, sendo homem; e o Espírito fala com o nosso espírito, sendo Espírito; e assim, temos quem interceda por nós de forma completa, espírito, alma e corpo, não só para nos salvar, mas para nos transformar, passo a passo, segundo a imagem do primeiro Consolador, pela ação do segundo, para a glória dAquele que enviou a ambos: nosso Deus, Senhor, e Pai.

“Ora, o Senhor é o Espírito; e onde está o Espírito do Senhor aí há liberdade. Mas todos nós, com rosto descoberto, refletindo como um espelho a glória do Senhor, somos transformados de glória em glória na mesma imagem, como pelo Espírito do Senhor.” (II Coríntios 3:17-18)