Até quando?

“Até quando Senhor, clamarei eu, e tu não escutarás? ou gritarei a ti: Violência! e não salvarás?” (Habacuque 1:2)

Em todo o mundo vemos, a cada ano, a violência aumentar; a violência de homens contra homens, de homens contra a natureza, e mesmo a da natureza contra o homem. E com certeza, no meio de tudo isso, estão aqueles que clamam a Deus “até quando?”, como fez o profeta Habacuque. Mas qual será a resposta de Deus? Até quando suportaremos a violência? Até quando clamaremos, e o Senhor parecerá não escutar? Até quando ouviremos o clamor do salmista abaixo?

“Até quando os ímpios, Senhor, até quando os ímpios exultarão? Até quando falarão, dizendo coisas arrogantes, e se gloriarão todos os que praticam a iniqüidade? Esmagam o teu povo, ó Senhor, e afligem a tua herança. Matam a viúva e o estrangeiro, e tiram a vida ao órfão. E dizem: O Senhor não vê; o Deus de Jacó não o percebe.” (Salmos 94:3-7)

A verdade é que Deus tem uma resposta para essa pergunta, e uma resposta que tem duas partes. A primeira parte é uma pergunta, e diz:

“Então disse o Senhor a Moisés: Até quando recusareis guardar os meus mandamentos e as minhas leis?” (Êxodo 16:28)

“Disse então o Senhor a Moisés: Até quando me desprezará este povo e até quando não crerá em mim, apesar de todos os sinais que tenho feito no meio dele?” (Números 14:11)

“Filhos dos homens, até quando convertereis a minha glória em infâmia? Até quando amareis a vaidade e buscareis a mentira?” (Salmos 4:2)

Deus responde ao nosso “até quando” com o Seu “até quando”. Se seguíssemos a lei do Senhor em Cristo, a liberdade e o amor que achamos nEle, Sua pureza e santidade em simplicidade, que lugar haveria para a violência? Que lugar para o ímpio? Que lugar para a iniqüidade e o pecado? A verdade é que o problema não está no mundo ou no tempo em que vivemos, mas no próprio ser humano, nas nossas paixões primais, no nosso instinto perverso e pecaminoso; o homem, por causa do pecado, é a maldição da terra, de forma tal que, como disse o pensador, “o homem é o lobo do homem”.

Assim, a primeira parte da resposta é, resumidamente, “quando me ouvirem, e crerem”. Mas não é a resposta completa, porque a menos que todos ouçam e creiam, sempre haverá impiedade no mundo, sempre haverá violência. Qual é a segunda resposta de Deus?

“…mas os céus e a terra de agora, pela mesma palavra, têm sido guardados para o fogo, sendo reservados para o dia do juízo e da perdição dos homens ímpios. Mas vós, amados, não ignoreis uma coisa: que um dia para o Senhor é como mil anos, e mil anos como um dia. O Senhor não retarda a sua promessa, ainda que alguns a têm por tardia; porém é longânimo para convosco, não querendo que ninguém se perca, senão que todos venham a arrepender-se. Virá, pois, como ladrão o dia do Senhor, no qual os céus passarão com grande estrondo, e os elementos, ardendo, se dissolverão, e a terra, e as obras que nela há, serão descobertas. Ora, uma vez que todas estas coisas hão de ser assim dissolvidas, que pessoas não deveis ser em santidade e piedade, aguardando, e desejando ardentemente a vinda do dia de Deus, em que os céus, em fogo se dissolverão, e os elementos, ardendo, se fundirão? Nós, porém, segundo a sua promessa, aguardamos novos céus e uma nova terra, nos quais habita a justiça.” (II Pedro 3:7-13)

Haverá um dia em que Deus acabará com a violência e a injustiça, eliminando definitivamente o pecado; um dia em que a terra como a conhecemos será destruída, mas renovada; um dia em que a terra em que habita a injustiça, renovada, será habitação da justiça de Deus. Esse dia do Senhor, assim como a resposta de Deus ao “até quando” de Habacuque, foi dividido em duas partes, porque Deus dividiu sua solução para o pecado em duas partes. A primeira solução (e o primeiro dia do Senhor) está em Cristo, e no seu sacrifício por nós — em que, morrendo com Cristo para o pecado, possamos nele viver para Deus. A segunda solução (e o segundo dia do Senhor) está no aniquilamento definitivo do pecado, e de todas as suas consequências sobre a criação — que equivale ao texto acima, e aos eventos descritos no livro de Apocalipse. Em ambas o homem pecador é destruído, para que o pecado seja desfeito; mas o que são achados em Cristo acharão nele vida, ao contrário dos que não forem achados nele. Assim, Deus um dia aniquilará definitivamente o pecado, e só restarão aqueles que encontraram a solução de Deus em Cristo, aqueles que ouviram e creram.

Resta mais uma pergunta. E quanto aos justos que foram (e são) vítimas da violência dos nossos dias? O que Deus fará para com eles? Deixarei a Bíblia responder por si só. Que Deus os abençoe.

“Quando abriu o quinto selo, vi debaixo do altar as almas dos que tinham sido mortos por causa da palavra de Deus e por causa do testemunho que deram. E clamaram com grande voz, dizendo: Até quando, ó Soberano, santo e verdadeiro, não julgas e vingas o nosso sangue dos que habitam sobre a terra? E foram dadas a cada um deles compridas vestes brancas e foi-lhes dito que repousassem ainda por um pouco de tempo, até que se completasse o número de seus conservos, que haviam de ser mortos, como também eles o foram.” (Apocalipse 6:9-11)

“…segundo a minha ardente expectativa e esperança, de que em nada serei confundido; antes, com toda a ousadia, Cristo será, tanto agora como sempre, engrandecido no meu corpo, seja pela vida, seja pela morte. Porque para mim o viver é Cristo, e o morrer é lucro.” (Filipenses 1:20-21)

“Pois, se vivemos, para o Senhor vivemos; se morremos, para o Senhor morremos. De sorte que, quer vivamos quer morramos, somos do Senhor. Porque foi para isto mesmo que Cristo morreu e tornou a viver, para ser Senhor tanto de mortos como de vivos.” (Romanos 14:8-9)

Comentários estão desabilitados.