O anjo do Senhor

“O anjo do Senhor acampa-se ao redor dos que o temem, e os livra. Provai, e vede que o Senhor é bom; bem-aventurado o homem que nele se refugia.” (Salmos 34:7-8)

O primeiro versículo do texto acima é muito citado hoje; de fato, é comum vê-lo citado erroneamente como “os anjos do Senhor acampam”, ainda que, na verdade, não seja isso que o texto diz. Ele diz que “o anjo do Senhor acampa-se ao redor dos que o temem, e os livra”. O anjo, não os anjos. Ora, que anjo é esse, e como um anjo só pode estar acampado ao nosso redor?

Já vimos essa expressão, “o anjo do Senhor”, em um outro estudo, e vimos que no Velho Testamento essa expressão normalmente se refere a uma teofania, ou seja, uma aparição visível do próprio Deus; e, de forma mais exata, uma aparição da segunda pessoa da Trindade, do Filho, ainda não revelado em forma humana.

Isso nos dá uma nova percepção do texto base deste estudo. Consideremos por um momento que o anjo do Senhor, nesse texto, se refere ao Senhor Deus, Ele próprio, na pessoa do Seu Filho; então o texto quer dizer que Ele acampa ao redor dos que o temem, e os livra. Será que outros textos na Escritura confirmam essa interpretação?

Leia novamente o texto inicial, antes de continuarmos. Vejamos, portanto; Deus, Ele mesmo, está de fato ao redor dos que o temem, e os livra:

“Mas tu, Senhor, és um escudo ao redor de mim, a minha glória, e aquele que exulta a minha cabeça.” (Salmos 3:3)

“Aqueles que confiam no Senhor são como o monte Sião, que não pode ser abalado, mas permanece para sempre. Como estão os montes ao redor de Jerusalém, assim o Senhor está ao redor do seu povo, desde agora e para sempre.” (Salmos 125:1-2)

A expressão seguinte — “provai, e vede que o Senhor é bom” — aparece de forma ligeiramente diferente apenas uma vez no Novo Testamento, se referindo a Cristo:

“…se é que já provastes que o Senhor é bom; e, chegando-vos para ele, pedra viva, rejeitada, na verdade, pelos homens, mas, para com Deus eleita e preciosa…” (I Pedro 2:3-4)

Se então, é o próprio Deus que está ao nosso redor, na pessoa do Seu Filho, como pode Ele estar ao nosso redor? É simples: se estamos nEle.

“…porque morrestes, e a vossa vida está escondida com Cristo em Deus.” (Colossenses 3:3)

Assim, se estamos escondidos em Deus, Ele está ao nosso redor, e nos livra; e, nEle, experimentamos que o Senhor é bom, e nEle nos refugiamos. Queremos que o anjo do Senhor esteja ao nosso redor? Pra isso é necessário que Deus esteja em nós, e nós nEle; só assim Ele estará ao nosso redor, como um escudo; só assim podemos nos refugiar nEle.

Como podemos ter tal segurança? Ora, se cremos de fato, morremos com Cristo, sendo batizados na sua morte:

“Ou, porventura, ignorais que todos quantos fomos batizados em Cristo Jesus fomos batizados na sua morte? Fomos, pois, sepultados com ele pelo batismo na morte, para que, como Cristo foi ressuscitado dentre os mortos pela glória do Pai, assim andemos nós também em novidade de vida.” (Romanos 6:3-4)

E se fomos batizados em Cristo, nos revestimos, nos “cercamos” de Cristo:

“Porque todos quantos fostes batizados em Cristo vos revestistes de Cristo.” (Gálatas 3:27)

Assim, nos achamos nEle, revestidos dEle; Deus está ao nosso redor porque estamos “dentro” dEle, por assim dizer; Ele assim é de fato o nosso refúgio, nossa fortaleza, e nosso libertador.

“Eu te amo, ó Senhor, força minha. O Senhor é a minha rocha, a minha fortaleza e o meu libertador; o meu Deus, o meu rochedo, em quem me refugio; o meu escudo, a força da minha salvação, e o meu alto refúgio.” (Salmos 18:1-2)

Comentários estão desabilitados.