Arquivo para 30 de April de 2005

Filho de Davi, filho de Abraão

Saturday, 30 de April de 2005

“Livro da genealogia de Jesus Cristo, filho de Davi, filho de Abraão.” (Mateus 1:1)

“Que pensais vós do Cristo? De quem é filho? Responderam-lhe: De Davi. Replicou-lhes ele: Como é então que Davi, no Espírito, lhe chama Senhor, dizendo: Disse o Senhor ao meu Senhor: Assenta-te à minha direita, até que eu ponha os teus inimigos de baixo dos teus pés? Se Davi, pois, lhe chama Senhor, como é ele seu filho? E ninguém podia responder-lhe palavra; nem desde aquele dia jamais ousou alguém interrogá-lo.” (Mateus 22:42-46)

“Produzi, pois, frutos dignos de arrependimento, e não queirais dizer dentro de vós mesmos: Temos por pai a Abraão; porque eu vos digo que mesmo destas pedras Deus pode suscitar filhos a Abraão.” (Mateus 3:8-9)

No primeiro versículo do primeiro dos evangelhos, encontramos já três títulos característicos do Senhor Jesus. O primeiro é Cristo (que significa ungido), e curiosamente, num “resumo” de toda a genealogia que se segue (com 42 gerações), dois títulos: filho de Davi, filho de Abraão.

Para entendermos esses dois títulos, e o porquê do destaque deles, precisamos ver quais são os momentos cruciais das vidas daqueles que foram diretamente filhos dessas duas personagens bíblicas na genealogia de Mateus. O filho de Davi, dentro dessa genealogia, é Salomão; e o filho de Abraão, Isaque.

O momento crucial da vida de Salomão, e aquilo que definiu seu reinado e existência mais que qualquer outra coisa, não foi exatamente sua sabedoria (ainda que ela seja bem conhecida), mas o fato de que o Templo de Jerusalém foi construído e terminado no seu reinado. Davi quis fazê-lo, mas não pôde. Veja o texto abaixo:

“Bem sabes tu que Davi, meu pai, não pôde edificar uma casa ao nome do Senhor seu Deus, por causa das guerras com que o cercaram, até que o Senhor lhe pôs os inimigos debaixo dos seus pés. Agora, porém, o Senhor meu Deus me tem dado descanso de todos os lados: adversário não há, nem calamidade alguma. Pretendo, pois, edificar uma casa ao nome do Senhor meu Deus, como falou o senhor a Davi, meu pai, dizendo: Teu filho, que porei em teu lugar no teu trono, ele edificará uma casa ao meu nome.” (I Reis 5:3-5)

O ponto crucial da vida de Isaque foi o episódio em que Deus pediu a Abraão que o sacrificasse - que entregasse a Deus aquele do qual Deus havia dito que nasceria a sua descendência.

“Prosseguiu Deus: Toma agora teu filho; o teu único filho, Isaque, a quem amas; vai à terra de Moriá, e oferece-o ali em holocausto sobre um dos montes que te hei de mostrar. (…) Então disse Isaque a Abraão, seu pai: Meu pai! Respondeu Abraão: Eis-me aqui, meu filho! Perguntou-lhe Isaque: Eis o fogo e a lenha, mas onde está o cordeiro para o holocausto? Respondeu Abraão: Deus proverá para si o cordeiro para o holocausto, meu filho. E os dois iam caminhando juntos. (…) Então disse o anjo: Não estendas a mão sobre o mancebo, e não lhe faças nada; porquanto agora sei que temes a Deus, visto que não me negaste teu filho, o teu único filho. Nisso levantou Abraão os olhos e olhou, e eis atrás de si um carneiro embaraçado pelos chifres no mato; e foi Abraão, tomou o carneiro e o ofereceu em holocausto em lugar de seu filho.” (Gênesis 22:2,7-8,12-13)

Filho de Davi significa, no caso de Cristo, a sua relação com o Templo de Deus; na verdade, o fato de que ele próprio é aquilo que o Templo representava: a habitação de Deus, e a sua presença entre os homens:

“Respondeu-lhes Jesus: Derribai este santuário, e em três dias o levantarei. Disseram, pois, os judeus: Em quarenta e seis anos foi edificado este santuário, e tu o levantarás em três dias? Mas ele falava do santuário do seu corpo. Quando, pois ressurgiu dentre os mortos, seus discípulos se lembraram de que dissera isto, e creram na Escritura, e na palavra que Jesus havia dito.” (João 2:19-22)

Filho de Abraão quer dizer que Cristo é o filho oferecido como sacrifício, o cordeiro que Deus proveu para si mesmo:

“No dia seguinte João viu a Jesus, que vinha para ele, e disse: Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo.” (João 1:29)

Por isso, o título de “filho de Davi” nos diz acerca da vida do Senhor Jesus, e do seu ministério, tanto o imediato quanto o que permaneceu através da igreja, e do seu reino sobre a igreja hoje, e sobre a Terra no futuro; “filho de Abraão” nos fala de sua morte substitutiva, de como ele é o único sacrifício perfeito e agradável a Deus, e de como este sacrifício perfeito está aberto para nós pela fé. Esses dois títulos não só se encontram em um só homem, como culminam em um só lugar: na cruz, onde Cristo foi morto como rei dos judeus (João 19:19-22), por ser filho de Davi, e como o Cordeiro de Deus, por ser filho de Abraão; na sua morte, o véu do templo foi rasgado, por ser ele o filho de Davi; e as pedras clamaram, por ser ele filho de Abraão. Naquele momento, ele estabeleceu um reino eterno, e uma eterna redenção, para nós que cremos nele.

“Sabei, pois, que os que são da fé, esses são filhos de Abraão. (…) E, se sois de Cristo, então sois descendência de Abraão, e herdeiros conforme a promessa.” (Gálatas 3:7,29)