O descanso do Deus que não se cansa

“E viu Deus tudo quanto fizera, e eis que era muito bom. E foi a tarde e a manhã, o dia sexto. Assim foram acabados os céus e a terra, com todo o seu exército. Ora, havendo Deus completado no dia sétimo a obra que tinha feito, descansou nesse dia de toda a obra que fizera. Abençoou Deus o sétimo dia, e o santificou; porque nele descansou de toda a sua obra que criara e fizera.” (Gênesis 1:31-2:3)

Esse é outro texto interessante das Escrituras. Após seis dias de criação, Deus descansou no sétimo dia (sábado, o sétimo dia, vem da raiz hebraica shabath, que significa descanso), e o santificou. Mas cabe uma pergunta: isso quer dizer que Deus se cansou? Como veremos mais tarde, Deus não se cansa, nem se fatiga. Por que então o descanso no sétimo dia? Deus certamente não precisava desse descanso.

Há ainda algo mais curioso no texto. Ele diz que Deus completou no dia sétimo a obra que tinha feito, mas a obra da criação parece acabar no sexto. Por que então a obra só se completou no sétimo dia? Porque no sétimo dia Deus criou o descanso; e não o criou para si mesmo, senão para nós: “O sábado foi feito por causa do homem, e não o homem por causa do sábado.” (Marcos 2:28). Vejam os textos abaixo:

“Deleita-te também no Senhor, e ele te concederá o que deseja o teu coração. Entrega o teu caminho ao Senhor; confia nele, e ele tudo fará. E ele fará sobressair a tua justiça como a luz, e o teu direito como o meio-dia. Descansa no Senhor, e espera nele…” (Salmos 37:4-7a)

“Não sabes, não ouviste que o eterno Deus, o Senhor, o Criador dos confins da terra, não se cansa nem se fatiga? É inescrutável o seu entendimento. Ele dá força ao cansado, e aumenta as forças ao que não tem nenhum vigor. Os jovens se cansarão e se fatigarão, e os mancebos cairão, mas os que esperam no Senhor renovarão as suas forças; subirão com asas como águias; correrão, e não se cansarão; andarão, e não se fatigarão.” (Isaías 40:28-31)

“Vinde a mim, todos os que estai cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei. Tomai sobre vós o meu jugo, e aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração; e achareis descanso para as vossas almas. Porque o meu jugo é suave, e o meu fardo é leve.” (Mateus 11:28-30)

“Porque nós, os que temos crido, é que entramos no descanso, (…) Pois aquele que entrou no descanso de Deus, esse também descansou de suas obras, assim como Deus das suas.” (Hebreus 4:3,10)

É fácil ver que a obra da criação foi toda feita por Deus, e só por Ele. Isso deve também ser realidade na nossa vida cristã cotidiana; tudo que nos cabe é descansar nEle, cientes de que a obra dEle só Ele próprio pode fazer. Deus providenciou pra nós um lugar de descanso, onde Ele próprio faz a obra, e nós desfrutamos dela; e esse lugar é Cristo, até porque ele próprio é o Senhor do sábado (Marcos 2:28).

“Já estou crucificado com Cristo; e vivo, não mais eu, mas Cristo vive em mim; e a vida que agora vivo na carne, vivo-a na fé no filho de Deus, o qual me amou, e se entregou a si mesmo por mim.” (Gálatas 2:20)

“Se, pois, fostes ressuscitados juntamente com Cristo, buscai as coisas que são de cima, onde Cristo está assentado à destra de Deus. Pensai nas coisas que são de cima, e não nas que são da terra; porque morrestes, e a vossa vida está escondida com Cristo em Deus.” (Colossenses 3:1-3)

“Aquele que habita no esconderijo do Altíssimo, à sombra do Todo-Poderoso descansará.” (Salmos 91:1)

Em Cristo habitamos no esconderijo do Altíssimo; e nEle achamos descanso. E, no descanso, podemos olhar para toda a obra que Deus fez em nós e através de nós, e ver, como Deus, que “…viu Deus tudo quanto fizera, e eis que era muito bom.” (Gênesis 1:31a)

Comentários estão desabilitados.